Pages

17 de jan de 2011

GLOBO DE OURO 2011 – Comentários e Vencedores


Sem nenhum momento de surpresa ou espontaneidade, a 68ª edição do Globo de Ouro pareceu mais longa do que se somarmos a duração de todos os filmes indicados na premiação – incluindo as 5 horas do francês “Carlos”, um dos premiados da cerimônia. Sonolento e com pouca empolgação, os organizadores da noite apostaram mais uma vez na apresentação do britânico Ricky Gervais para comandar a cerimônia. Se no ano passado, o comediante foi uma das principais atrações da festa, foi terrivelmente embaraçoso, em 2011, acompanhar suas piadas depreciativas e de mau gosto sobre os profissionais que estavam presentes, que até recebeu alguns “puxões de orelha” de Robert Downey Jr. – por uma piada batida sobre sua internação em uma rehab há mais de... hum... 15 anos – e do astro Tom Hanks, que como metade dos espectadores, sentiu-se envergonhado pelo companheiro de estúdio Tim Allen, que não conseguiu esconder a expressão de desapontamento com a brincadeira cretina de Gervais. Simplesmente lamentável. No mais, o ápice deste Globo de Ouro, como não poderia deixar de ser, foi a homenagem a Robert De Niro, que entregou o melhor discurso da noite em agradecimento pelo prêmio Cecil B. De Mille, concedido a algum profissional pela contribuição ao cinema.

No mais, nada de novidade. Exaustivo pela quantidade de prêmios e sem apresentar nenhuma inventividade na forma de apresentá-los, optando pelo esquema mais fácil que incumbe o apresentador de subir ao palco e abrir o envelope, os vencedores foram bem previsíveis – o que não diminui a escolha dos votantes de forma alguma. Eis os comentários sobre cada categoria abaixo. Os vencedores estão em vermelho:


FILME – DRAMA
Cisne Negro
O Discurso do Rei
A Origem
A Rede Social

O Vencedor

Não conferi “O Discurso do Rei”, nem “O Vencedor”, mas o filme de David Fincher era mesmo o favorito da categoria, tendo apenas o sobre projeto sobre a monarquia com reais chances de arrancar seu Globo. Fiquei feliz com o resultado, embora também ficasse se quaisquer dos outros dois brilhantes filmes se consagrassem vencedores.


FILME – COMÉDIA / MUSICAL
Alice no País das Maravilhas
Burlesque
Minhas Mães e Meu Pai

RED – Aposentados e Perigosos
O Turista

Não assisti a “Burlesque” ainda – e nem tenho curiosidade para isso. Recebendo várias críticas com a indicação de filmes terríveis em uma categoria integralmente medíocre, nenhum dos filmes indicados merecia a honraria. Acho “Minhas Mães e Meu Pai” supervalorizado ao extremo, mas tem a sua graça. Dentre essas escolhas infelizes, seria também a minha opção. Mas com alguns filmes de comédia que assisti no ano passado, refaria essa categoria em um piscar de olhos: “O Golpista do Ano”, “Cyrus”, “Sentimento de Culpa” são alguns que humilham essa seleção preguiçosa.


DIRETOR
Christopher Nolan (A Origem)
Darren Aronofsky (Cisne Negro)
David Fincher (A Rede Social)
David O. Russell (O Vencedor)
Tom Hooper (O Discurso do Rei)

Repito o meu comentário na categoria Filme-Drama, já que são os mesmos indicados. Ficaria feliz se qualquer um levasse, mas não dormiria à noite de felicidade se Darren Aronofsky, que entrega uma mise en scène absolutamente fabulosa por “Cisne Negro”, surpreendesse e fosse consagrado. A esperança, então, fica para o Oscar. Dá-lhe Fincher!


ROTEIRO
Aaron Sorkin (A Rede Social)
Christopher Nolan (A Origem)
David Seidler (O Discurso do Rei)
Lisa Cholodenko e Stuart Blumberg (Minhas Mães e Meu Pai)
Simon Beaufoy e Danny Boyle (127 Horas)

Não vi “O Discurso do Rei”, mas desafio a ser tão brilhante como o texto de Sorkin para “A Rede Social”. Essa categoria simplesmente não admitiria outro vencedor.




ATOR – DRAMA
Colin Firth (O Discurso do Rei)
James Franco (127 Horas)
Jesse Eisenberg (A Rede Social)
Mark Wahlberg (O Vencedor)
Ryan Gosling (Blue Valentine)

Não tenho nenhuma autoridade para comentar essa categoria, já que só conferi dois indicados: Franco e Eisenberg. Mas parece que Firth é o “franco” (desculpem o trocadilho) favorito ao Oscar.


ATRIZ – DRAMA
Halle Berry (Frankie & Alice)
Jennifer Lawrence (Inverno da Alma)
Michelle Williams (Blue Valentine)
Natalie Portman (Cisne Negro)
Nicole Kidman (Reencontrando a Felicidade)

Ainda não pude assistir a “Frankie & Alice” e “Blue Valentine”, mas será difícil encontrar neste ano uma atuação tão visceral, tão surpreendente e de total entrega nessa temporada como a de Portman, que parece estar carimbando o seu passaporte ao Oscar com total merecimento. Tilda Swinton por “I Am Love” mandou beijos a todos os votantes.


ATOR – COMÉDIA / MUSICAL
Jake Gyllenhaal (O Amor e Outras Drogas)
Johnny Depp (Alice no País das Maravilhas)
Johnny Depp (O Turista)
Kevin Spacey (Casino Jack)
Paul Giamatti (Minha Versão para o Amor)

Dentre estes, não assisti a “O Amor e Outras Drogas” e justamente o vencedor da categoria, “Minha Versão para o Amor”. No entanto, não posso deixar de comentar dois sentimentos que senti ao ouvir o vencedor: o alívio de não ver Depp consagrado por atuações vexaminosas e a felicidade de ver Giamatti, um dos melhores atores em atividade, sendo reconhecido por um filme pouco assistido. Kevin Spacey, que não tem nenhum Globo, também está grandioso em “Casino Jack”. Mas, convenhamos, quem tem dois Oscars, precisa de Globo pra quê?


ATRIZ – COMÉDIA / MUSICAL
Angelina Jolie (O Turista)
Anne Hathaway (O Amor e Outras Drogas)
Annette Bening (Minhas Mães e Meu Pai)
Emma Stone (A Mentira)
Julianne Moore (Minhas Mães e Meu Pai)

Ainda não vi o filme de Hathaway e só lamento Angelina Jolie ter sido indicado em um filme que ela apenas faz exposição de sua figura. Annette Bening mereceu o prêmio pelo ótimo trabalho em “Minhas Mães e Meu Pai”, mas não esconderia minha satisfação em ver premiadas Moore e Stone, que considero superiores à Mrs. Beatty. Enfim, Bening já está com indicação certa no Oscar e que o “amor” pelo filme pare por aí.



Time de feras: as melhores atuações segundo o HFPA


ATOR COADJUVANTE
Andrew Garfield (A Rede Social)
Christian Bale (O Vencedor)
Geoffrey Rush (O Discurso do Rei)
Jeremy Renner (Atração Perigosa)
Michael Douglas (Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme)

Não testemunhei as performances de Bale e Rush, mas os outros três indicados também são de destaque, sobretudo o retorno de Gordon Gekko na pele do sempre admirável Michael Douglas – aplaudido de pé quando foi apresentar a categoria principal. Seria ótimo vê-lo mais reconhecido pelo seu trabalho, o maior mérito dessa sequência desnecessária.


ATRIZ COADJUVANTE
Amy Adams (O Vencedor)
Helena Bonham Carter (O Discurso do Rei)
Jacki Weaver (Reino Animal)
Melissa Leo (O Vencedor)
Mila Kunis (Cisne Negro)

Mais uma vez, “O Vencedor” e “O Discurso do Rei” empacando a minha avaliação total da categoria hehe. Weaver faz Mila Kunis comer poeira com sua performance dócil e assustadora em “Reino Animal”, mas não posso dizer que a australiana foi injustiçada, porque não conferi o desempenho de Melissa Leo, e não contive o sorriso no rosto ao ver seu nome sendo anunciado. Boa sorte a ela!


"Também 'somo vencedor', manhê!"


ANIMAÇÃO
Como Treinar o Seu Dragão

Enrolados
O Mágico
Meu Malvado Favorito
Toy Story 3


Não vi “O Mágico”, nem “Enrolados”, mas os outros três estão a um abismo de distância com o vencedor da categoria. “Toy Story 3” é simplesmente o melhor filme de toda a relação de filmes indicados ao Globo de Ouro desta edição – dentre os que vi, claro.


FILME ESTRANGEIRO
Biutiful (México)
O Concerto (França)

The Edge (Rússia)
Em um Mundo Melhor (Dinamarca)
I Am Love (Itália)

Só vi “O Concerto” e “I Am Love”. E o italiano acaba com a cantoria do francês fácil, fácil.


TRILHA SONORA
A. R. Rahman (127 Horas)
Alexandre Desplat (O Discurso do Rei)
Danny Elfman (Alice no País das Maravilhas)
Hans Zimmer (A Origem)
Trent Reznor e Atticus Ross (A Rede Social)

Com exceção da enjoada trilha de Elfman, todos foram excelentes escolhas. Ficaria muito feliz se a composição sufocante e magistral de Zimmer para “A Origem” levasse, mas o trabalho original e bem delineado da dupla de “A Rede Social” também fez por merecer a honraria.


CANÇÃO ORIGINAL
“Bound to You” (Burlesque)
“You Haven’t Seen the Last of Me” (Burlesque)
“Coming Home” (Country Strong)
“There’s a Place for Us” (As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada)
“I See the Light” (Enrolados)

Todas chatinhas. Dentre a seleção, ficaria com a de “Country Strong”.


6 comentários:

Cristiano Contreiras disse...

"A Origem" sem nenhum prêmio. Isso é mesmo justo? Sem mais.

Paulo Soares disse...

Decepção mega pelas esnobadas a Nolan e sua grandiosidade de filme; Pô, nem Zimmer premiraram por aquele absurdo trabalho de compoisção? Odiei tudo!

A noite só me toruxe felicidades por ver Nicole linda e radiante como sempre; Por finalmente reconhecerem Jim Parsons na categoria tv; Já passava da hora!

Por Melissa Leo, que vibrante e espôntanea fez um dos mais divertido discurssos da noite.

E pelo momento De Niro, que foi excelente também. Ria e chorava ao mesmo tempo...rs

No mais foi esquecível essa cerimônia.

Abs!

Reinaldo Glioche disse...

Boas ponderações Elton. Achei que Gervais, do ponto de vista do expectador, saiu-se melhor este ano. Mas concordo contigo.
Quanto ao prêmio propriamente dito, a HFPA se esforçou para corrigir a péssima impressão deixada pelas indicações. Conseguiu. Se não foi ousada, primou pela correção e sobriedade. Surpreendeu em uma e outra categoria e alinhou-se a crítica em tantas outras.
Abs

Paula Mariá disse...

Jura que "A Rede Social" é tudo isso? Não dei absolutamente nada por ele. Nem fui ver. Agora,na categoria animação eu realmente sou mais "Como Treinar Seu Dragão".

Rodrigo Mendes disse...

Eu só assisti a partir do prêmio de melhor diretor...

enfim nada muda em festas hollywoodianas.

Ótimo comentário Elton!

Abs.
Rodrigo

Elton Telles disse...

CRIS: hahaha, compartilho da sua indignação, meu caro. Adoro a trilha de "A Rede Social" e achei super cool Trent Reznor subir lá no palco, mas daria para Zimmer de olhos fechados - isso porque Daft Punk não foi indicado, claro. Você tem toda a razão =)


PAULO: Hey friendo! Call it! Surpresa boa um comentário seu aqui, man! Lembrou dos amigos hahaha o/
Pois é, "A Origem" merecia mesmo mais amor. Não acompanho TV, às vezes até mudava de canal quando premiavam esse segmento porque o GG me cansa rs, mas Nicole estava mesmo muito bonita, wow! De Niro muito bacana, pra mim, o melhor discurso da noite, e Melissa Leo hahaha, adorei ela quebrando a postura de austeridade que ela criou e até deu um "yuppie" no final do discurso hahaha. E foi merecido, ela arrasa em "O Vencedor". E total de acordo, como sempre, mais um GG esquecível. Só não vou me esquecer fácil daquela risada contagiante de nerd de Natalie Portman HAHAHAHAHA. Caso, limpo, passo e faço o que ela pedir xD


REINALDO: Valeu, cara! É, porque quem não queria tirar um sarro de "O Turista" e de alguns artistas? Hehe, mas eu achei Gervais muito venenoso. Há limites entre a zombação e o desrespeito, achei ele muito sacana, um idiota mesmo. No mais, perfeito o seu comentário. As indicações estranhas foram superadas por uma premiação justa e coerente =)


PAULA: "A Rede Social" era o melhor dos indicados, dos que vi. Achei o filme soberbo, tem até crítica no blog =). Sério que tu prefere o Dragão a TS3? Espero esquecer desse detalhe quando te encontrar pessoalmente... watch your back! xD


Valeu, RODRIGO. Pois é, é a monotonia de sempre mesmo.


ABRAÇOS A TODOS!!