Pages

26 de mar de 2010

Como Treinar o Seu Dragão


Na década passada, mais do que nunca, as animações conseguiram se solidificar no cenário cinematográfico. Ignorando o título simplista de “contos infantis”, muitos filmes deste formato conquistaram seu espaço e obtiveram merecido reconhecimento por, além de proporcionarem histórias que atraia e hipnotize o espectador, apresentarem como pano de fundo algum tema social capaz de abranger a todos os públicos. O que dizer de “Wall-E” e sua crítica mordaz ao comprometimento com o meio ambiente, ao consumismo e à dependência da tecnologia? Ou o estopim do documentário em animação “Valsa com Bashir”, que retrata a sanguinária guerra do Líbano e conta com um design gráfico estarrecedor? “Shrek” com a divertida fábula da inclusão e sem deixar esquecer os fabulosos filmes orientais, como as fantasias “Paprika” e “A Viagem de Chihiro”, em que ambos apresentam histórias lúdicas com um pé no onírico e no surrealismo. Enfim, os anos 2000 foram marcados pela consolidificação das animações no cinema, e fazendo jus à década anterior, a estreia mundial do ótimo “Como Treinar o seu Dragão” talvez seja um indício de que o que nos aguarda de 2010 em diante seja tão recompensador quanto.



Baseado em uma série de livros infanto-juvenil, o filme se passa em uma aldeia habitada por vikings, que lutam diariamente com dragões dispostos a roubarem o rebanho criado pelos habitantes do vilarejo. Representando uma guerra sem fim entre humanos e répteis voadores, as crianças do local recebem treinos de como treinar, dominar e matar os monstros invasores para que a tranquilidade reine na ilha. No entanto, um dos garotos acaba se tornando companheiro de um Fúria da Noite, a espécie de dragão considerada mais perigosa e ameaçadora, e acaba compreendendo, no final das contas, quem são os verdadeiros vilões da história.


“Como Treinar o seu Dragão” foi concebido digitalmente pela técnica do CGI e é uma das várias animações previstas para estrear neste ano com o formato 3D – outras delas, próprias da Dreamworks Animation, são “Shrek Para Sempre” e “Megamind”. Embora a história seja bem previsível, permitindo que uma criança de 8 anos seja capaz de adivinhar final, o filme reserva ótimas sequências de ação e aventura de tirar o fôlego, que são enfatizadas pela tecnologia da terceira dimensão. Assim, ao acompanhar um dragão sobrevoando a ilha, o espectador fica com a sensação de estar na garupa do animal, tamanho o grau de mergulho proporcionado pelo filme. Os diretores Dean DuBlois e Chris Sanders – mesma dupla responsável por “Lilo e Stitch”, de 2002 – realizam um ótimo trabalho na adaptação do 3D para a história. É perceptível, contudo, a dosagem de cenas de ação na história, que pode ser até interpretada como cautela dos realizadores para que a tecnologia não fosse usada de forma exacerbada e nem que estas cenas se sobressaíssem ao dilema vivido pelo protagonista.



No entanto, soa um pouco decepcionante o terceiro ato da animação, que é abarrotada de informações e peca no exagero de situações, cuja única justificativa seria a redenção minutos mais tarde. O filme erra ao não dimensionar os demais moradores da aldeia, relegando-os os demais figurantes a pessoas sem voz, vulneráveis ao poder que rege sobre o local. Por outro lado, a Dreamworks não mede esforços para que o espectador tenha uma identificação imediata com os personagens centrais, atribuindo características físicas próprias da atualidade a vikings que viviam durante a Idade Média. Aliás, a sequência inicial que apresenta os principais personagens é sensacional: acompanhado por uma câmera nervosa em um combate entre humanos e dragões, o espectador é introduzido a cada figura que povoará os 98 minutos de duração do filme.


Contando com uma trilha sonora empolgante assinada por John Powell e um eficiente design gráfico – o grande fotógrafo Roger Deakins é creditado como consultor visual do filme – “Como Treinar o seu Dragão” é bom entretenimento para todos os públicos. Exceto, talvez, para os próprios vikings.



NOTA: 7,0



COMO TREINAR O SEU DRAGÃO (How to Train Your Dragon) EUA, 2010

Direção: Dean DeBlois e Chris Sanders

Roteiro: Dean DeBlois, Chris Sanders, Adam F. Goldberg e Peter Tolan

Elenco: Vozes de Jay Baruchel, Gerard Butler, America Ferrera, Jonah Hill e Christopher Mintz-Plasse

8 comentários:

Jenson J, disse...

Parece ser 'engraçadinha', nada demais! Mais, uma das animações da Dreamworks!

Cristiano Contreiras disse...

Eu gostei muito, me surpreendeu! achei de extremo bom gosto, efeitos bons, personagens cativantes, trilha e visual recheados de bons elementos e o filme flui bem legal - ao contrário dos chatinhos e superestimados Shrek, que já não aguento mais! rs

daria nota 8!

Reinaldo Glioche disse...

É esse o espírito das animações da Dreamworks que aos pouco vai ampliando seu repertório de personagens.
Estou curioso para assistir esse filme.
Abração!

Elton Telles disse...

Olá Jenson!
é uma ótima animação. Tem sua parcela de comédia, mas também é muito bem sucedida quanto às cenas de ação. O 3D aqui caiu como uma luva.


Dae Cristiano,
Concordo em tudo, menos na menção a "Shrek" (que acho demais, embora esteja mesmo soando muito repetitivo) e na nota 8. =)


Olá Reinado,
"Como Treinar o Seu Dragão" foi aprovado em massa pela crítica cinematográfica. Está com 98% no RottenTomatoes... eu diria que é um pouco de exagero, mas só por esses números, já émotivo suficiente para conferir o filme. Aposto que tu vai gostar.


ABS!

leo disse...

estou muito curioso sobre esse filme,mesmo com o pé atrás por ser da Dreamworks.
Abraços ;D

Wally disse...

Todos são só elogios... quero muito ver.

Ana Luiza Verzola disse...

Não assisti ainda, mas sou suspeita para comentar a respeito, por ser facilmente derretida pelas animações. Deve ser um traço da infância, quando reinavam os bons filmes da Disney, né?
Contudo, os personagens desenhados, ao meu ver, sempre foram uma gracinha. E com uma merecida nota "7,0" do Elton, fora a descrição perfeita da trajetória, não restam dúvidas que será o próximo filme que irei conferir. Hahaha

Elton Telles disse...

Olá Leo!
Valeu pela sua visita. Então, eu te asseguro que este é um dos melhores exemplares da Dreamworks. Assim como vocë, não sou tão admirador do estúdio, mas dessa vez, conseguiram fazer um filme que vai além do "engraçadinho", tem também ótimas cenas de ação - mas não espere um Pixar =)


Aposto que vai gostar, Wally.


Ae! Valeu pelo comentário, Ana!
Acho que o gostinho de infância ao assistir uma animação sempre pega todos de assalto, embora, hoje, os filmes neste formato não sejam meramente "infantis" - o que não é o caso deste filme. Infantil, mas de boa qualidade!


ABS!